sábado, 21 de setembro de 2019

PM e ex-PM são presos pelo assassinato de Marielle

PM e ex-PM são presos pelo assassinato de Marielle
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

PM e ex-PM são presos pelo assassinato de Marielle

 A Delegacia de Homicídios (DH) da Capital e o  Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPRJ) prenderam na manhã desta terça-feira o sargento reformado da Polícia Militar Ronnie Lessa, de 48 anos, e o ex-PM Elcio Vieira de Queiroz por envolvimento no asssassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes. Os dois tiveram a prisão preventiva decretada pelo juiz-substituto do 4º Tribunal do Júri Guilherme Schilling Pollo Duarte, após denúncia da promotoria. Segundo a denúncia do MP do Rio, Lessa teria atirado nas vítimas e Elcio  era quem dirigia o Cobalt prata usado na emboscada. O segundo acusado foi expulso da corporação.

 De acordo com a denúncia das promotoras Simone Sibilio e Leticia Emile,  o crime foi “meticulosamente” planejado  três meses antes do atentado. Além das prisões, a operação  realiza mandados de busca e apreensão nos endereços dos denunciados para apreender documentos, telefones celulares, notebooks, computadores, armas, acessórios, munições e outros objetos.  Lessa e Elcio foram denunciados pelo assassinato e a tentativa de homicídio de Fernanda Chaves, assessora da vereadora que sobreviveu ao ataque. A ação foi batizada de Operação Buraco do Lume, referência ao local no Centro de mesmo nome, na Rua São José, onde Marielle prestava contas à população sobre medidas tomadas em seu mandato. Ali ela desenvolvia também o projeto Lume Feminista.  Os denunciados foram presos às 4h desta madrugada.

 As promotoras pedem ainda a suspensão da remuneração e do porte de arma de fogo de Lessa.  Também foi requerida a indenização por danos morais aos familiares das vítimas e a fixação de pensão em favor do filho menor do motorista Anderson até completar 24 anos de idade. Em certo trecho da denúncia, elas ressaltaram: “É inconteste que Marielle Francisco da Silva foi sumariamente executada em razão da atuação política na defesa das causas que defendia. A barbárie praticada na noite de 14 de março de 2018 foi um golpe ao Estado Democrático de Direito”.

 Junto com os pedidos de prisão e de busca e apreensão, o GAECO/MPRJ pediu a suspensão da remuneração e do porte de arma de fogo de Lessa.  Também foi requerida a indenização por danos morais aos familiares das vítimas e a fixação de pensão em favor do filho menor de Anderson até completar 24 anos de idade.

Da Redação

 Confira mais notícias no Jornal Gazeta do Estado, jornal impresso com circulação nos Estados de Goiás, Tocantins e Distrito Federal. Publicação de Edital de Protesto, Edital de Intimação, Edital de Notificação, Edital de Desmembramento, Edital de Retificação, Edital de Comunicação, Edital de Licitação, Edital de Pregão, Edital de Proclamas, Balanço e notícias de Goiás, Tocantins e Distrito Federal. O Jornal Gazeta do Estado possui Central de Distribuição em Goiânia, Brasília e Palmas. Fique bem informado, acesse:

http://gazetadoestado.com.br