quarta, 21 de novembro de 2018

PF prende casal foragido com dinheiro, drogas e jóias

PF prende casal foragido com dinheiro, drogas e jóias
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

PF prende casal foragido com dinheiro, drogas e jóias

A Polícia Federal de Ponta Porã - MS, junto com o apoio da delegacia de Polícia Federal de Rondonópolis - MT, efetuou a prisão de um casal foragidos da justiça de São Paulo nesta terça-feira (21/08).

Os presos são de Ponta Porã, e de acordo com as apurações realizadas pela polícia paulista e pela polícia federal, o casal são os verdadeiros proprietários de mais de 400kg de cocaína, produtos químicos e maquinários utilizados no refino de entorpecentes, aproximadamente R$ 110 mil em espécie, além de armas de fogo e munições que estavam na posse de dois indivíduos em uma mansão, na cidade de Itapetininga - SP, em março de 2017.

Segundo as investigações, os detidos lideravam um complexo esquema de tráfico internacional de drogas na fronteira entre Brasil e Paraguai, sendo que a droga era obtida no território paraguaio e encaminhada (por via terrestre) até o município de dourados.

Desta localidade os entorpecentes eram ocultos em caminhões e carretas e seguiam para o interior do estado de São Paulo, normalmente para Itapetininga e Americana, de onde acabavam distribuídos para traficantes do estado paulista. Os indivíduos presos hoje desfrutavam de uma vida luxuosa, exibindo-se em redes sociais portando joias e frequentando restaurantes e hotéis de alto valor.

Estima-se que uma festa patrocinada por eles, realizada no início de 2017, tenha custado mais de R$ 50.000,00. Este alto padrão de vida e aparente inexistência de origem lícita de patrimônio chamou a atenção dos policiais federais. Além do tráfico, os investigados efetuavam a lavagem dos capitais obtidos por suas atividades ilícitas com a compra de imóveis de alto padrão, principalmente em dourados, registrados em nome de “laranjas”.

Também eram movimentadas altas quantias em contas bancárias abertas em nome de terceiros. Para dificultar a atuação dos órgãos públicos de segurança, os detidos utilizavam documentos falsos e passaram a tentar justificar a origem dos valores que sustentavam seu alto padrão de vida alegando ser empresários do ramo de transportes.

Recentemente, os investigados passaram a negociar carregamentos de cocaína na cidade de Corumbá, fronteira do Brasil com a Bolívia, sendo que policiais federais descobriram que teriam alugado um imóvel em Rondonópolis.

Os acusados pretendiam alugar um galpão, onde seria montada uma transportadora. Com o cumprimento do mandado de busca e apreensão no imóvel foram encontrados jóias e outros itens luxuosos, tais como relógios, óculos, documentos falsos e uma arma calibre 380.

Além da prisão em flagrante, os detidos responderão pelos crimes de tráfico internacional de drogas, lei de lavagem, uso de documento falso e posse irregular de arma de fogo, cujas somas das penas máximas é de 33 anos de prisão.

Fonte: O Progresso