quinta, 12 de dezembro de 2019

Namorado de adolescente amordaçada e morta a facada diz à polícia que ex que confessou crime nunca fez ameaças

Namorado de adolescente amordaçada e morta a facada diz à polícia que ex que confessou crime nunca fez ameaças
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Namorado de adolescente amordaçada e morta a facada diz à polícia que ex que confessou crime nunca fez ameaças

O namorado de Nayara Xavier, de 17 anos, amordaçada e morta a facadas em Goiatuba, na região sul do estado, disse em depoimento à Polícia Civil que a ex-mulher, Inglide Rose Tavares de Moura, que confessou o crime após ser presa, nunca havia ameaçado o casal. Segundo o delegado Patrick Carniel, a corporação aguarda laudos para conclusão do inquérito.

“Ele (namorado) foi ouvido no primeiro dia, ainda na madrugada do crime e também prestou depoimento após a prisão de Inglide. E relatou que ele e Nayara tinham um relacionamento tranquilo e que a suspeita nunca havia ameaçado o casal. Agora estamos aguardando o laudo cadavérico e de local de crime para remetermos o caso ao Judiciário”, disse o delegado.

Inglide foi presa na terça-feira (14), em Aloândia, um dia após Nayara ser encontrada morta e amordaçada dentro da casa em que vivia como namorado, em Goiatuba. A principal suspeita do crime confessou o homicídio a polícia e deu detalhes sobre como amordaçou a adolescente.

Na conversa com a Polícia Civil, Inglide Rose Tavares de Moura diz que deu uma facada na adolescente e tapou a boca dela para que ela não gritasse.

“Ela (Nayara) veio e falou “vai embora” e me empurrou. Aí eu peguei e apontei a faca e a cortou. Ela viu que eu estava com a faca. Aí cortou. Aí ela ia gritar, uma pessoa pegou e bateu palma. Eu não sei quem foi, não sei se era na casa lá. Aí eu peguei e empurrei ela pra a cama, “coisei” a mão dela e tampei a boca dela”, diz a suspeita.

A jovem foi encontrada sem vida na noite de segunda-feira (13), e teve o corpo levado na madrugada de terça-feira (14), para o Instituto Médico Legal (IML) de Itumbiara, também na região sul de Goiás.

Segundo o delegado, a família de Nayara é do interior da Paraíba e estaria providenciando o traslado.

 “Após uma discussão, Inglide, fazendo uso de uma faca, golpeou o pescoço e amarrou as mãos da vítima para trás com uso de fita adesiva, usou a mesma fita para tampar a boca da vítima e ainda colocou um saco plástico na cabeça (da adolescente)”, explicou o delegado Parick Carniel, que investiga o caso.

Segundo ele, a vítima estava morando na casa do namorado e foi encontrada por ele, já sem vida, por volta de 23h no mesmo dia. Após o crime, a Polícia Civil foi acionada e, no decorrer das investigações, chegou até Inglide Rose Tavares de Moura, de 26 anos. A mulher teve a prisão temporária – de 30 dias – decretada pela Justiça e está detida suspeita de matar Nayara Xavier

 

(Foto: Divulgação/Polícia Civil)