segunda, 13 de julho de 2020

Grupo que extorquia famílias em assentamento é presa no DF

Grupo que extorquia famílias em assentamento é presa no DF
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Grupo que extorquia famílias em assentamento é presa no DF

A Polícia Civil do DF, por intermédio da 16ª DP (Planaltina), realizou, na manhã de ontem (8), a Operação Terra Prometida. A ação teve o objetivo de cumprir mandados de prisão preventiva contra integrantes de um grupo que agia ilicitamente no acampamento Zilda Xavier, em Planaltina, no Distrito Federal.

De acordo com as investigações, que duraram seis meses, o grupo cometia diversos crimes no local, dentre eles latrocínio, homicídio, roubo, extorsão, corrupção de menores, incêndio doloso, furto, ameaça, apropriação indébita e grilagem de terra. Eles cobravam uma taxa de R$ 500 para que as famílias pudessem permanecer no acampamento, que contava com cerca de 220 barracos.

 “Havia um embrião de milícia privada que se organizava e criava um Estado dentro do acampamento. Eles praticavam crimes graves, ocasionando abalo à ordem pública no assentamento e na região”, afirmou o delegado-chefe, Edson Medina. 

Treze pessoas (doze homens e uma mulher) foram presas em cumprimento a mandado de prisão preventiva. Também foram cumpridos 13 mandados de busca e apreensão no acampamento Zilda Xavier, no Condomínio Nova Petrópolis, na Vila Rabelo e na Fercal. 

Conforme apurado, o grupo era comandado por B.G.M.F., 42 anos, que recrutava os moradores da região, inclusive menores de idade, armando-os para extorquir os demais assentados. Quando as famílias negavam o pagamento da taxa cobrada, o grupo invadia os barracos, roubava os pertences, agredia, incendiava o local e vendia o lote para outra pessoa. Após as providências legais, os autuados foram recolhidos ao Sistema Prisional.

(PCDF)