sábado, 16 de fevereiro de 2019

Esquadrão da PM é acionado após mala ser deixada em frente ao Planalto

Esquadrão da PM é acionado após mala ser deixada em frente ao Planalto
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Esquadrão da PM é acionado após mala ser deixada em frente ao Planalto

A tranquilidade que reinava na noite de ontem (26) no Palácio do Planalto foi interrompida por uma ameaça de bomba. Por volta das 20h, a Polícia Militar foi acionada para verificar uma mala que havia sido abandonada próximo a uma parada de ônibus, em frente ao Planalto. Ao final, tudo não passou de alarme falso.

O Esquadrão de Bombas do Batalhão de Operações Especiais (Bope), com auxílio de um robô e um agente com traje especial, examinaram a mala com aparelho de raio X e verificaram que não havia nenhuma ameaça na bagagem. Para a realização da operação, o trânsito em frente ao Palácio do Planalto foi desviado e a área próxima ao local onde estava a mala foi isolado.

“Após a verificação por intermédio do raio X, descartamos qualquer possibilidade de explosivos. Aí pudemos fazer uma verificação manual e percebemos que tinha apenas roupas mesmo, nada perigoso”, disse o sargento do Esquadrão de Bombas, Pedro Henrique Fernandez.

A operação durou cerca de uma hora, até que se constatasse o alarme falso. Segundo policiais que trabalharam na operação, o dono da mala foi identificado. Ele havia pedido um transporte por aplicativo, entrou no carro e esqueceu a mala na parada de ônibus. O motorista chegou a voltar, sem o cliente, para pegar o objeto esquecido, mas foi impedido pelos populares, que alertaram a equipe de segurança do Palácio do Planalto. Foi ela a responsável por chamar a polícia.

Fernandez orienta a população a não manusear um objeto abandonado na rua. “O que torna o objeto suspeito não é a aparência dele e sim a estranheza dele ao local. No caso, uma mala abandonada no meio da calçada próxima ao Palácio do Planalto se torna um objeto suspeito. A gente orienta a jamais se mexer em objetos abandonados. É uma orientação que a gente passa para a população”.

(agenciabrasil)