terça, 25 de setembro de 2018

Colisão traseira foi o acidente mais registrado em 2017

Colisão traseira foi o acidente mais registrado em 2017
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Colisão traseira foi o acidente mais registrado em 2017

O balanço operacional de atividades de 2017 da Polícia Rodoviária Federal (PRF) mostra que a colisão traseira foi o tipo de acidente que mais ocorreu nas rodovias federais – ao todo foram 16.114. O balanço foi divulgado no início deste ano e mostra que no geral houve uma redução nos índices que medem a violência no trânsito em rodovias federais.

Seguindo o ranking de acidentes por tipo, a colisão lateral aparece em terceiro lugar, com 10.571 acidentes nas rodovias federais, seguido pela colisão transversal – 10.190 acidentes. No entanto, o tipo de acidente que mais resultou em mortes foi a colisão frontal, em que morreram 1.904 pessoas.

Em comparação a 2016, o órgão registrou uma redução de 2,7% no número de óbitos, 3,5% de feridos, 13,8% de feridos graves e de 7,5% no número de acidentes nas rodovias federais. No entanto, o ranking dos acidentes por tipo mostra que a saída de pista é o segundo tipo de acidente que mais ocorreu – 15.654 em todo o Brasil.

Em 2017, ocorreram 89.318 acidentes em rodovias federais que resultaram na morte de 6.244 pessoas e 83.978 feridos. Estes números são menores quando comparados a 2016, ano em que ocorreram 96.590 acidentes, que resultaram na morte de 6.419 pessoas e deixaram outros 87.006 feridos.

O resultado é reflexo da estratégia operacional da PRF, que realiza campanhas de educação para o trânsito, operações pontuais em épocas de intensificação de deslocamentos, tal como férias e festas de final de ano, e reforços de policiamento em pontos críticos nas rodovias de todo o país. No ano passado, a PRF também contabilizou quase seis milhões de autos de infração emitidos durante fiscalizações nas estradas que cortam o país.

(PRF)