domingo, 26 de maio de 2019

Bebê atacada por cachorro em Goiânia apresenta melhora no estado clínico

Bebê atacada por cachorro em Goiânia apresenta melhora no estado clínico
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Bebê atacada por cachorro em Goiânia apresenta melhora no estado clínico

Apesar de continuar internada da UTI Pediátrica do Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), a bebê de 1 ano que foi atacada por um cachorro na casa da avó na Vila Maria Luiza, em Goiânia(GO), apresenta melhoras no estado clínico.

O último boletim de saúde divulgado pela unidade nesta quinta-feira (28) mostra que a criança não está mais grave e sim regular, além de respirar sem a ajuda de aparelhos. No entanto, o hospital não informou a previsão de alta da criança.

A bebê foi mordida pelo cachorro no dia 19 na casa da avó, em Goiânia. De acordo com a Polícia Civil, a garota estava no colo da avó no momento do acidente. A corporação apurou também que o cachorro estava com a família há muitos anos

Cão foi recolhido

O diretor de vigilância em zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Gildo Felipe de Paula, confirmou que o cão foi recolhido pelo órgão a pedido da família da criança. O animal não é um pastor alemão puro, mas tem raça mista e grande porte.

Segundo Gildo, não há sinais de que o cão esteja doente, mas ele deve ficar em observação pelo período de dez dias para que qualquer hipótese de doença seja descartada.  Após o prazo, os proprietários voltam a ser acionados para saber se querem o animal. Caso não queiram, o centro de zoonoses se encarrega de procurar um lar adotivo.

Sobre a possibilidade de sacrifício do cão, Gildo afirma que pode acontecer. “Se os nossos profissionais verificarem que o animal é realmente agressivo pode acontecer. Mas só após o acompanhamento de dez dias. Vamos esperar para ver a reação do cão”, explica.

(maisgoias)